sexta-feira, 21 de junho de 2013

O cinema e a reflexão sobre a ditadura militar



Por Cláudia Mogadouro

A história política recente do Brasil tem a marca dos 21 anos de ditadura militar que vigorou entre 1964 e 1985. Faz, portanto, 28 anos que o regime militar terminou, o que não é muito tempo, se pensarmos na perspectiva histórica. Porém, nossos estudantes já nasceram fora desse período e pouco se fala sobre o assunto nas escolas. Certamente, por ser uma história recente, é bem difícil conseguir o distanciamento necessário, além do quê, ainda sentimos claramente as consequências das ações do Estado nesse período, especialmente no que tange a desestruturação do sistema escolar.

Parte da geração de brasileiros hoje com mais de 40 anos tem lembranças dessa fase, ainda que as memórias variem muito, por conta do contexto que viveram e da idade que tinham.

Quem cursava a universidade na virada dos anos 1960 para os 1970, talvez lembre da presença de “infiltrados” na sala de aula, policiais disfarçados de estudantes. Os que viviam fora dos grandes centros urbanos, o mesmo período pode significar uma infância singela, alheia aos principais fatos políticos, até porque a imprensa era censurada. A festa da copa do mundo de 1970, quando o Brasil foi tricampeão mundial, está na memória de muitos brasileiros, parte deles têm também na memória o uso político desta vitória pelo então presidente General Médici.

Continue lendo

(Acima, o filme Hércules 56, no qual participantes do sequestro do embaixador dos EUA no Brasil, Charles Burke Elbrick, em 1969, discutem esse fato e suas implicações.)


Fonte: Blog Mídias na Educação

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...