sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Cineasta censurado nos anos de 1970 dá nome à sala de projeção 3D do Ministério da Justiça

Vladimir Carvalho em depoimento à Comissão UnB 50 anos.  Foto: Mariana Costa/UnB Agência


O cineasta Vladimir Carvalho inaugurou, em 31/10, a nova sala de projeção HD-3D do departamento de Classificação Indicativa do Ministério da Justiça.
A nova sala de projeção é equipada com um moderno projetor HD-3D, que permite acompanhar a tendência do mercado e amplia a capacidade de análise da Classificação Indicativa. Antes disso, as equipes se deslocavam a cinemas da capital, fora do horário comercial, para assistir e analisar os filmes que possuíam uma dessas tecnologias.
O espaço recebeu o nome de Sala Vladimir Carvalho, em reconhecimento à obra do grande documentarista, que vive em Brasília.
No lançamento foi exibida uma versão de “O País de São Saruê”. O documentário é uma das obras que ficou mais tempo proibida pela censura do governo militar. Nos quase nove anos (de 1971 a 1979) em que esteve proibido, o filme foi convidado para diversos festivais, entre eles o Festival de Cannes.
“A escolha do nome de Vladimir Carvalho é um ato de repúdio a quaisquer formas de censura”, declarou o secretário Nacional de Justiça, Paulo Abrão.
Vladimir Carvalho
O cineasta possui uma filmografia de reúne 23 títulos, entre eles Romeiros da Guia (1962), A Bolandeira (1967), O País de São Saruê (1971), O Itinerário de Niemeyer (1973), O Evangelho Segundo Teotônio (1984), Conterrâneos Velhos de Guerra (1991), Barra 68 (2000), O Engenho de Zé Lins (2006) e Rock Brasília: a era de ouro (2011).
Fonte: Boletim da Classificação Indicativa que trata das  ações do Departamento de Classificação Indicativa do Ministério da Justiça ( Edição: 1 Nº 6 - Novembro de 2013) 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...