segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Educomunicadores da Renajoc se unem à luta do Unicef contra a exclusão escolar

Os jovens educomunicadores da Renajoc (Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicador@s) Daniela Rueda, Diego Teófilo, Reynaldo Gosmão e Vânia Correia acabam de produzir, para a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, do Unicef, o texto intitulado: Educação no Brasil: desafios e avanços, na perspectiva dos adolescentes e dos jovens

O artigo faz parte da iniciativa “Fora da Escola não Pode: cada criança e adolescente tem o direito de aprender” que, desde 2010, mobiliza o Brasil a tomar conhecimento da realidade representada pela exclusão escolar e a promover uma abordagem intersetorial para o enfrentamento do problema. 

De acordo com o recém-lançado relatório “O enfrentamento à exclusão escolar no Brasil”, 3,8 milhões de crianças e adolescentes de 4 a 17 anos estão fora da escola: destes, os grupos mais excluídos são os de 4 e 5 anos (1,1 milhão), com idade para frequentar a pré-escola, e os adolescentes de 15 a 17 anos (1,7 milhão), que deveriam estar no ensino médio. E outros 14,6 milhões de crianças e adolescentes estavam em situação de atraso escolar. 


Alinhar a escola com as expectativas juvenis.

No artigo, a Renajoc destaca, dentre os desafios a serem enfrentados para a permanência dos adolescentes no sistema forma de ensino, o urgente alinhamento da escola com as expectativas dos jovens. Afirmam: 


“O desinteresse pela escola, revelado por grande parte de nós (mesmo por aqueles que não a abandonam), é um dos fenômenos mais graves a ser considerados. Ele traz à tona a urgência de alinhar a realidade escolar com as nossas expectativas, promover o diálogo, a participação e a integração do mundo escolar com as culturas juvenis. O atual modelo tradicional de ensino tem nos afastado, pois a escola não tem se constituído como espaço dinâmico, atrativo e envolvente. Isso, combinado com um ensino de pouca qualidade, que oferece pouca perspectiva para a continuidade dos estudos (numa universidade pública, por exemplo) e/ou boa colocação no mercado de trabalho, contribui para que a escola perca, drasticamente, a relevância na nossa vida”. 

Para ler o artigo ou toda a publicação na íntegra é só acessar o portal www.foradaescolanaopode.org.br e clicar "baixe aqui para download". 

No portal também é possível consultar dados por município e UF sobre quantas crianças estão fora da escola, assistir vídeos e ler textos sobre a temática da exclusão escolar. Para ilustrar pode divulgar o vídeo em libras e em linguagem audiodescritiva com os principais dados: Fora da escola não pode! 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...