domingo, 26 de outubro de 2014

Pesquisadora da Argentina discute Ley de Medios e Educomunicação, na ECA/USP

A professora Bettina Martino, diretora da "Carrera en Comunicación" da Universidade Nacional de Mendonça, na Argentina, esteve no Brasil, ao longo da primeira quinzena de outubro, com o objetivo de entrevistar o professor Ismar Soares e levantar bibliografia para sua tese doutoral. 

Durante sua estadia na cidade de São Paulo, a professora Bettina participou das aulas oferecidas pelo professor Ismar no Programa de Pós Graduação, nos dias 7 e 14 de outubro, no período da tarde, reunindo-se com os alunos da Licenciatura, no dia 14, à noite. 


Na aulas da Pós-Graduação, Bettina Marino dialogou com o docente e os alunos sobre seu interesse em conhecer o pensamento brasileiro sobre Educomunicação, levando em conta a dificuldade que tem de obter bibliografia latino-americana ou espanhola sobre o tema. 

Admitiu que tem visto diferentes visões sobre o conceito, mas que entende ser mais adequado aos objetivos de sua pesquisa e aos projetos de educação midiática em seu país seguir as orientações advindas das pesquisas do Núcleo de Comunicação e Educação da USP. 



Ley de Medios e a Educação para na Argentina 

Em seu encontro com os alunos da Licenciatura, Bettina informou que em algumas províncias de seu país, como Buenos Aires, São Luis e Mendonça, existe um dispositivo legal determinando a oferta de uma disciplina sobre Comunicação nas grades curriculares do ensino médio. 

No caso, a disciplina é oferecida por docentes que frequentaram o curso de "Professorado em Comunicação", de dois anos, que se segue à formação superior em Comunicação Social. Explicou que, na Argentina, não existem habilitações previstas no âmbito da comunicação, como jornalismo, relações públicas, publicidade, etc., como ocorre no Brasil, mas apenas a terminalidade geral de "Comunicação Social". No caso, o aluno recém-formado por optar por continuar seus estudos e tornar-se Professor de Comunicação. 

O problema da pesquisa de Bettina reside no fato de não se ter informações exatas sobre como os professores de comunicação ministram as aulas, com que conteúdos trabalham e que metodologias seguem. Adiantou: A nova Ley de Médios, recém-aprovada, incentiva que o sistema educativo desenvolva projetos de educação para os meios (educación en médios). 

No entanto, o tema não tem sido trabalhado nem na formação básica dos estudantes de comunicação social, nem mesmo no curso de professorado que prepara docentes para a área, no ensino médio. 

Para a professora da Universidade de Mendonça, a perspectiva da educomunicação que trabalha a educação para os meios de forma transversal ao currículo seria a mais adequada para os escopos da Ley de Médios, na Argentina. 




Futuras parcerias 

Futuras parcerias entre a USP e a Universidad Nacional de Mendonza estão na perspectiva tanto da docente argentina quanto da coordenação da Licenciatura em Educomunicação, no Brasil. "Tenho um grupo de estudantes muito interessado em intercambiar experiências sobre educomunicação. Trata-se de jovens que trabalham em projetos de inclusão entre a universidade e bairros da periferia da cidade", confidenciou a visitante argentina aos alunos da graduação. O fato despertou o interesse dos estudantes brasileiros em continuar mantendo contato com a docente de Mendonça. 

Após retornar a seus país, Bettina expressou, por mensagem eletrônica, seu contentamento com a acolhida recebida por parte dos professores e estudantes da ECA/USP, informando ter levado em sua bagagem um volume representativo de livros e revistas que passarão a ser objeto de leitura de seus colegas e alunos em Mendonça.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...