segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Educomunicação chega a Andirá, no Paraná

1º Encontro Municipal de Educomunicação de Andirá revela que município prepara a aprovação de uma lei sobre a Educom.

A comunidade de Andirá entrou na rota de pesquisa e ação em Educomunicação. A proposta pedagógica que tem como objetivo proporcionar ferramentas visando projetos de interface comunicação e educação nas escolas municipais foi apresentada nesta quinta-feira (08), durante a abertura oficial do 1º Encontro Municipal de Educomunicação de Andirá. Professores, pesquisadores, estudantes do ensino médio, representantes das áreas de saúde, ação social, setores da administração do poder público, universitários, imprensa e população, encheram o Cine Teatro São Carlos, numa produtiva noite de debates. 
O encontro também contou com as presenças dos vereadores Profº André Rossato, Profº Wagner Calixto e Alex Shibata – Sushi, que destacaram o apoio do legislativo ao projeto. A Secretária Municipal de Educação e Cultura, Profª Sirlei Freitas Aguiar, também esteve presente e falou aos convidados a respeito das mudanças e progressos que o projeto proporcionará a rede municipal de ensino.

Com um formato diferente, numa espécie de roda de conversa, o encontro trouxe referenciais científicos da área, experiências desenvolvidas em outras comunidades, destacou a importância da educomunicação tornar-se Lei municipal e ampla discussão sobre leitura crítica da mídia. Nesta primeira roda de debates, o Fórum contou com as presenças do jornalista, ex - deputado e apresentador da Rede Record, Barbosa Neto; da pesquisadora e doutora em comunicação, Luzia Yamashita Deliberador; jornalista e pesquisadora em interfaces da comunicação, Daniela Artigas e o músico, professor e pesquisador Ercole Martelli. A mediação das discussões ficou a cargo do jornalista, Secretário Municipal de Comunicação da Prefeitura de Andirá e pesquisador da área de Educomunicação, Tiago Silvio Dedoné.


Debates

Durante as explanações Barbosa Neto destacou a necessidade da sociedade encontrar ferramentas para decodificação das informações na grande imprensa. Segundo ele, a escola é o caminho para se trabalhar de forma mais ampla esta interpretação e construir criticidade, por isso, a Educação para os Meios se faz necessário. Já a jornalista Daniela Artigas enalteceu a importância da compreensão da comunicação como mecanismo de integração e emancipação nos ambientes sociais. Ela, que é especialista em dinâmica de grupo, ressaltou as transformações que ocorrem quando se há ricos ecossistemas comunicacionais no espaço da escola. O músico e pesquisador andiraense Ercole Martelli trouxe ao debate a importância da música como elemento de expressão de identidade e de realidade sócio-política-cultural. Ele citou a música e suas intervenções ao longo da história, destacando o papel dela nos grupos sociais.

Para a professora e Doutora Luzia Deliberador, hoje já há outras escolas teóricas que tratam de mídia educação. Ela apresentou projetos desenvolvidos em escolas de Maringá, Londrina e Sarandi, usando as ferramentas do jornal, rádio, fotografia, histórias em quadrinhos, como instrumentos para dinamização do processo de ensino aprendizagem. Luzia também falou de políticas públicas, ressaltando os municípios em que a educomunicação já é Lei Municipal.


Em Andirá

De acordo com o Secretário de Comunicação, o projeto irá acontecer da seguinte forma: no primeiro momento, acontece as capacitações e os debates, atrelados às oficinas e criação de projetos pedagógicos. Apesar de o foco inicial ser de educadores, o projeto estendeu o planejamento para atender todas as áreas do poder público que podem criar ações educomunicativas nos ambientes de atendimento ao público, como, por exemplo, Ação Social, Saúde, Administração Pública, entre outros. “A educomunicação atua na ampliação do ecossistema comunicacional nos cenários de socialização. Ou seja, entende que dinamizando por meio da comunicação os processos de conhecimentos e ampliação de diálogos, os resultados de troca de saber têm muito mais resultados efetivos, seja na escola, nos postos de saúde, nos projetos sociais que cuidam idosos ou qualquer outro órgão do poder público municipal”, destacou Dedoné. “Vamos trabalhar bastante pra que os resultados de emancipação do processo dialógico nas unidades do governo e progressos pedagógicos nas instituições de ensino tragam bons frutos pra Andirá, colocando nossa comunidade na rota de pesquisa e ação educomunicativa”. O encontro contou, ainda, com a apresentação cultural da artista andiraense Branda Mikaella.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...