sábado, 30 de abril de 2016

Educomunicadores criam associação e mobilizam juventude, em Burkinafasso, África

A produção de duas curta-metragens, no gênero de ficção, envolvendo 12 jovens, tendo como tema a questão da gravidez na adolescência é a última iniciativa de um grupo de educomunicadores de Burkinafasso, pais localizado na região ao sul-saariana do continente africano. As produções serão usadas para debates e cursos de formação nas escolas do pais, assim como nos centros de cultura.
Os jovens pertencem a uma associação juvenil denominada EducommunicAfrik, criada em setembro de 2012, com a missão de implementar a educação midiática e informacional, além de trabalhar a favor da igualdade de gênero, na busca da autonomia das novas gerações no uso dos recursos midiáticos em favor se seu próprio desenvolvimento humano, pessoal e coletivo.

A iniciativa de criar o EducommunicAfrik foi da Association Burkinabè pour la Promotion de l’Educommunication (ABPE), surgida em decorrência de um workshop oferecido a jovens comunicadores africanos pelo Prof Ismar Soares e pelo jornalista Paulo Lima, por ocasião do Congresso Mundial da Unión Catholique Internationale de la Presse, ocorrida em Ouagadougou, capital do pais, em 2010.

No trabalho dos membros do EducommunicAfrik com a juventude local, ganha relevância as atividades de análise crítica da mídia («Forum Médiaverti ») e de produção midiática («Atelier Médiapraxis»). Os jovens desenvolvem também «coberturas educomunicativas» como ocorreu recentemente duranto o XIII Salão Internacional do Artesanato, em Ouagadougou.

Articulações nacionais e internacionais

Da mesma forma como a ABPEducom, no Brasil, a ABPE de Burkinafasso vem expandindo suas ações através de parcerias com órgãos públicos, como os Ministérios da Educação, dos Direitos Humanos, do Meio ambiente, além da Prefeitura de Ouagadougou. Além do mais, através do EducommunicAfrik a entidade mantém conexões com programas como a Global Alliance for Partnership on Media and Information Literacy (GAPMIL) e a Global Alliance on Media and Gender (GAMAG), ambas da UNESCO.

Em termos políticos, além de haver integrado os grupos da sociedade civil que monitoraram as últimas eleições presidenciais no pais, o EducomunicAfrik foi convidado pela União Africana, em outubro de 2015, a integrar-se às entidades encarregadas da elaboração do documento intitulado «Stratégie d’Engagement des Jeunes dans la gouvernance démocratique» (Youth Engagement Strategy - YES), numa ação coordenada desde Addis-Abeba, Etiopia.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...