sábado, 12 de novembro de 2016

Educomunicação, em Santiago, São Paulo e Brasília: a legitimação do conceito em diferentes escalas

Imagem do Encontro 'Vozes da Infância e Juventude', realizado no VII Educom. Auditório lotado com crianças, jovens e adultos para discutir educomunicação ilustra a legitimação do conceito em diferentes escalas 
Entre o final de outubro e o início de novembro de 2016, as cidades de Santiago, no Chile, e São Paulo e Brasília, no Brasil, foram palcos para manifestações e debates educomunicativos de grande relevância. Conheça os detalhes dos momentos históricos registrados nos últimos meses:
Santiago: rememorando os anos 80 e rearticulando o futuro
No dia 27 de outubro, reuniram-se, em Santiago, no campus da Universidad Mayor de Chile, um grupo pesquisadores e promotores de práticas na interface Comunicação/Educação, liderados  por Claudio Avendaño e Germán Covarrubias, visando fortalecer a recém-criada rede de especialistas na área (Red Educom). A ocasião propiciou um encontro do grupo com visitantes brasileiros (Prof. Ismar Soares, Luci Ferraz e Luiz Henrique Altieri Soares, da ABPEducom). Por solicitação dos participantes, coube a Soares apresentar os resultados das pesquisas do NCE/USP sobre o conceito e a prática da educomunicação no Brasil. Interessou particularmente ao grupo conhecer o caminho percorrido pelos brasileiros no sentido de criar as condições para que fossem adotadas, em diferentes níveis, políticas públicas em torno ao conceito, no pais.
Entre os especialistas chilenos, destacou-se a presença do pesquisador Valério Fuenzalida, conhecido promotor da educação midiática, na década de 1980, atualmente voltado para os estudos de recepção e a relação entre a infância e a televisão. O diálogo entre Soares e Fuenzalida foi marcado pela rememoração dos encontros sobre Educação para a Televisão, ocorridos entre 1985 e 1991, respectivamente, em Santiago, Curitiba, Buenos Aires e Las Vertientes, no Chile, com o apoio da UNESCO, momento em que se promoveu uma primeira sistematização do pensamento latino-americano sobre metodologias dialéticas de educação para a comunicação, no continente. Segundo Soares, o livro que sumarizou os resultados dos quatro encontros (Educación para la Comunicación, Manual Latino-americano), editado por CENECA, ofereceu importantes referenciais para a consolidação do pensamento educomunicativo no final dos anos de 1990.

Encontro de especialistas: da esquerda para a direita: Claudio Avendaño, Germán Covarrubias, Ismar Soares e Luci Ferraz.

O encontro da Universidad Mayor de Chile, em 2016, representou um passo significativo na reaproximação entre estudiosos latino-americanos do campo da educação midiática. Outro passo viria a ocorrer nove dias depois, em São Paulo, no dia 5 de novembro, na reunião promovida pela ABPEducom, no espaço da ECA/USP, com 95 especialistas do Brasil, Cuba, Equador, Argentina, Colômbia e México, com o desenho de um programa de mobilização pela educomunicação na América Latina, numa proposta em articulação pela ABPEducom e pela FLACSO.

São Paulo: a Educomunicação, no espaço da UNESCO
Entre 3 e 4 de novembro, a ABPEducom protagonizou o VII Encontro Brasileiro de Educomunicação, com a organização de 36 paineis, por onde circularam, nos dois dias, um total de 400 inscritos interessados em conhecer as constiruições e em debater com 136 autores de papers sobre o tema do evento: “Mídia e alfabetização midiática: novos paradigmas para o diálogo intercultural”.
É relevante anotar que o VII Educom facilitou aos autores de apresentações e aos inscritos que tomassem parte nas atividades previstas na programação do V Global MIL Week, como ocorreu na sessão de abertura, no dia 3, pela manhã, e na sessão de encerramento, no dia 5.
As sessões contaram com um média de 20 participantes. Ganharam maior público, contudo, os paineis que contaram com a presença das crianças, adolescente e jovens, assim como o debate em que se presentaram os latino-americanos Guilherme Orozco (México) e Silvia Bacher (Argentina).

Na sessão de encerramento do Global MIL Week, a canadense Carolyn Wilson, em diálogo com o Prof. Ismar Soares, presente à mesa, rememorou sua vinda ao Brasil, em 1989, quando era uma jovem professora, tendo participado ativamente do International Congress on Communication and Education, promovido pelo NCE/USP, em São Paulo. Em sua fala, Carolyn garantiu que foi visivelmente impactada pelo pensamento brasileiro em torno da relação Comunicação/Educação. Por seu lado, Alton Grizzle, da UNESCO, confessou publicamente que ficou impressionado com a vitalidade do conceito da Educomunicação e com a presença das crianças e jovens no evento global.

Uma das últimas intervenções da sessão de encerramento coube a um dos adolescentes da Imprensa Jovem que pediu mais espaço para as crianças em futuros encontros sobre o tema da educomunicação.

Ganhou destaque a presença, em frente ao prédio central da ECA, do estúdio móvel do projeto Dante em Foco, com adolescentes do Colégio Dante Alighieri realizando entrevistas com especialistas internacionais, em inglês e espanhol.

Brasília: a legitimação da Educação no espaço do CCS

Na mesa do Seminário no Conselho de Comunicação Social: Ismar Soares (Abpeducom), Raquel Paiva (UFRJ), Sandra Tiné (MEC) Miguel Cançado (CCS) Alton Grizzle (Unesco) e as estudantes Maria Eduarda Oliveira e Clarice Villari
A TV Senado transmitiu para todo o pais, na manhã do dia 7 de novembro, em Brasília. O seminário promovido pelo Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional, teve como título “: Educação midiática e informacional no Brasil – um olhar a partir da perspectiva da UNESCO”.
Coordenado pelo Presidente da ABPEducom, o seminário contou com as presenças das Professoras Raquel Paiva, Pesquisadora do Laboratório de Estudos em Comunicação Comunitária da UFRJ, e Sandra Zita Silva Tine, Assessora Técnica da Coordenação Geral do Ensino Fundamental, Diretoria de Currículos e Educação Integral, da Secretaria de Educação Básica do MEC. Pela UNESCO, falou Alton Grizzle – Diretor de Desenvolvimento da Mídia e da Liberdade de Expressão e Coordenador do Programa GAPMIL – Global Alliance for Partnership on Media and Information Literacy. Clique aqui e leia a reportagem completa do encontro histórico, no Congresso Nacional

A grande novidade da mesa foi contar com a intervenção das adolescentes Clarice Villari – aluna do Colégio Dante Alighieri de São Paulo; e Maria Eduarda Silva de Oliveira – aluna do CEU EMEF Casa Blanca de São Paulo que apresentaram o projeto Educom.geraçãocidadão.2016, que uniu o Colégio Dante Alighieri e a EMEF Casa Blanca, numa proposta educomunicativa interinstitucional, assistida pela ABPEducom e do pelo NCE/USP.
Estudantes Maria Eduarda Silva de Oliveira (a esq.) e Clarice Villari (a dir.), integrantes do projeto Educom.Geração. Cidadã.2016 participaram de Seminário sobre Educação Midiática no Conselho de Comunicação Social do Senado


Todos os cinco integrantes do painel referiram-se à Educomunicação como um caminho para as políticas públicas de educação no Brasil. O Sr. Alton Grizzle identificou-se com o conceito e viu pontos de contato entre a proposta da UNESCO e as práticas defendidas pelos educomunicadores na América Latina.
De Brasília para a UNESCO: Educom.geraçãocidadã.2016
A presença, na mesa dos debates, no Senado Federal, das alunas Clarice Villari e Maria Eduarda Silva de Oliveira, bem como as intervenções, no plenário, das Profas. Lucilene Varandas (EMEF Casa Blanca) e Verônica Cannatá (Colégio Dante Alighieri), somada ao trabalho de coleta de imagem e som, na plateia e corredores do Senado, por parte das alunas Ana Beatriz do Nascimento Manoel e Júlia Assis Azevedo, deram um sentido único e transcendental  ao evento, garantindo o reconhecimento de que a parceria educomunicativa interinstitucional entre uma escola privada e uma escola pública, passou a representar um caminho inovador para implementar uma educação midiática de qualidade, como prática de formação para a cidadania. Clique aqui e veja a cobertura interativa do Senado para o evento
Alton Grizzle, diretor de Desenvolvimento da Mídia e da Liberdade da Unesco
A transmissão ao vivo do seminário, pela TV Senado, no dia 7 de novembro, bem como a veiculação, pelo próprio canal, de entrevistas realizadas com os participantes, incluindo uma das jovens educomunicadoras, levaram a todo o território nacional os resultados de um trabalho paradigmático de educomunicação, inspirador para experiências semelhantes em todo o país.
O projeto Educom.geraçãocidadã.2016 alcançará repercussão em Paris. É o que garantiu o Sr. Alton GrizzleDiretor de Desenvolvimento da Mídia e da Liberdade da UNESCO, que mostrou-se emocionado com a apresentação das alunas e com a proposta inovadora que apresentaram através de um do documentário em vídeo. Durante sua fala, Grizzle  fez uma expressa conexão da proposta da UNESCO com as hashtags escolhidas pelas crianças para a produção audiovisual que apresentaram: #AceitaTodos e #PorUmMundoMelhor < https://www.youtube.com/results?search_query=%23aceitatodos>, entendendo que a proposta brasileira está inserida nas metas da UNESCO para seu programa intitulado Media and Information Literacy.
Assista ao registro feito pela TV Senado sobre o Seminário Educação Midiática, no Conselho de Comunicação Social do Senado

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...